domingo, 14 de junho de 2009

Momento X Sentimento



Porque hoje preferimos momento ao invés de sentimento? O que está errada em ter sentimento? Quem vive o momento não tem sentimento?
Estas perguntas pairavam em minha mente por um bom tempo. Alem da mais difícil que era: "Por que não consigo um relacionamento?".
Hoje pessoas se machucam com mais freqüência e por isso acabam temendo outro relacionamento, e em uma tentativa um tanto que desesperada, luta contra si para não apegar-se ou apaixonar-se por outra pessoa, tenta fazer aquele velho esquema: "Ah! Agora eu só quero curtir, não quero me relacionar de novo tão cedo, quero só ficar!" e assim tentam fugir ao maximo de tudo que possa vir a ser algo mais serio.
Tentei inúmeras vezes ficar com alguém “por ficar” e sempre tinha isto em meus pensamentos, as tentativas não foram as melhores pois em todas parecia que estava beijando minha própria mão. Confesso que comecei a me desesperar me perguntando se nunca mais iria sentir o que um dia já senti em um beijo. Por conta das expectativas criadas pelo nosso inconciente, acabamos nos preocupando demais em encontrar alguém ou temendo a solidão. Continuei seguindo em frente, mas pensando menos em não ter que me envolver e nesse "negocio" de ficar! Tempo e mais tempo se passaram e eis que acabei por aventura conhecendo alguém que gostei muito de ficar, a princípio acabei achando que me entreguei demais aquele “momento”, e acabei tomando as dores da preocupação e da expectativa. Dias se passaram e pessoas próximas a mim me estenderão a mão nesse momento de angustia, pois estava completamente perdido em minha mente, como que eu sabendo que aquilo que rolou jamais passaria daquele momento e acabei sendo tão “mexido” por esta pessoa a ponto de acabar criando expectativas sobre ela?!
(O que venho dizer agora é a melhor solução para qualquer problema.
Sempre que precisar se encontrar e se recompor não pense duas vezes em conversar com um ou dois amigos para que eles possam te ajudar a ver a saída, pois todos nós, desde o principio sabemos como resolver nossos problemas, mas ficamos tão desestruturados diante do acontecido que sempre precisamos de alguém para confirmar aquilo que já sabemos.)
Sim, existem pessoas que temem o compromisso e acabam se assustando diante de algumas ações de seus companheiros, acabando afastando-os de si. Pude perceber que viver o momento sem pensar no que vai acontecer e, se vai acontecer, é a melhor coisa que existe. Pois, procurar pensar no que acabou de “rolar”, relembrar os bons momentos é tão bom para o nosso ego e nos tornam mais vivos, ao invés de ficar amargurado pensando o que será dali para frente. Desde então sempre que tenho a oportunidade de estar com alguém bacana, que gosto de ficar, ao chegar em casa só penso no quanto aquilo tudo foi bom, sem deixar espaço para pensamentos que podem atrair sofrimento e angustia.
Dizer que quem "FICA" não tem sentimento é extremamente errado, pois certamente por mais que seja só sentimento de prazer sem o amor não deixa de ser um sentimento, e quem sabe com o tempo este “momento” acabe sendo propenso a se tornar um sentimento de afeto, carinho e amor.
Portanto viver cada minuto do "MOMENTO" sem pensar no amanha só te trará coisas boas e evitará algo que pode acabar machucando seu ego e te tornando aos poucos uma pessoa amargurada.



3 comentários:

Paulo Tamburro disse...

Meu amigo com um início deste:
"Porque hoje preferimos momento ao invés de sentimento? O que está errada em ter sentimento? Quem vive o momento não tem sentimento?";

Falar, escrever, mais o quê?

Apenas dizer-lhe que seu blog é espetacular!!!

Serei seu seguidor !

Angelo A. P. Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angelo A. P. Nascimento disse...

Eis um dilema exposto! Em verdade, ficar ou namorar são duas vertentes. Acredito que os dois levem a satisfações diferentes, mas vivê-los em sua individualidade requer que tenhamos amadurecimento e pulso. Em mim mesmo, não tenho estrutura emocional para os beijos fugidios! (rs)
Curto constâncias e serenidades, mas não posso negar que tive minhas épocas de incompletude banhada de ansiedades.
A vida é mesmo assim: aprendemos a cada bobeira dessa. Às vezes queremos tanto que descompassamos do outro, acelerando as sensações.
Acho que não assustamos as pessoas com essa voracidade, apenas estamos numa velocidade maior e, sem perceber, deixamos aquela criatura para trás.
Quanto aos amigos, eles são sempre bons para acender as lamparinas do juízo!
Abração